20/04/2014

Resenha de "Reflections & Rebellions" no site METAL SAMSARA!

É incrível como o Brasil se mostra um celeiro de boas bandas!

E mais uma vez, as terras férteis do Nordeste mostram o quanto podem dar de bons nomes ao nosso país, pois o PANDEMMY, um ótimo quinteto vindo de Recife (Pernambuco), mostra garras bem afiadas com seu primeiro disco, o ótimo "Reflections & Rebellions", após dois EPs e um Demo CD.

A banda é adepta com unhas e dentes a um híbrido entre Death e Thrash Metal, mas não se iludam: a personalidade deles se sobressai demais, quase rompendo as fronteiras do gênero, já que lançam mão de melodias bem feitas em vários momentos, fora os riffs empolgantes em mudanças rítmicas extremamente bem compostas. Ou seja, a fórmula, já usada muitas vezes, acaba ganhando uma roupagem nova, cheia de energia e vigor.

Vocais que oscilam entre timbres mais rasgados e alguns momentos guturais, guitarras roncando furiosas em riffs sólidos e solos bem feitos (onde as melodias ficam ainda mais evidentes), base baixo/bateria bem sólida e coesa. E o resultado é satisfatório, bem acima da média.

A produção, feita pelo veterano Fabiano Penna (ex-guitarrista do THE ORDHER e do REBAELLIUN), é bem seca e dá um toque de agressividade ao trabalho, com um nível sonoro muito bom. Poderia ser melhor, mas está anos luz de ser algo ruim, pois os instrumentos estão audíveis e podem ser percebidos sem esforços, deixando a banda bem exposta. A arte, um trabalho de Alcides Burn (theburnart.blogspot.com) ficou em bom nível gráfico, e com uma capa enigmática. E ainda não falmos dos convidados Antônio Araújo (guitarrista do KORZUS) e Alcides Burn (vocalista do BURN IN PAIN, INNER DEMON RISE e NEXT PAIN) em "Heretic Life", Raíssa Leal (com vocais adicionais) em "Common is Different than Normal", Alexandre de Orio (guitarrista do CLAUSTROFOBIA) no solo de "Rubicon (Point of No Return)" e o próprio Fabiano Penna no solo de "Without Opinion".

]Quando se fala em conteúdo, podemos dizer que apesar de ser seu primeiro Full Length, a banda realmente mostra um nível de composição muito bom, fugindo bastante dos pontos comuns e clichês, fazendo algo que pulsa com vida e cheio de energia, capaz de levantar múmias dos sarcófagos sem esforço, em qualidade distribuída entre as 10 faixas do disco ("Farewell" é uma introdução).

As melhores: "Mind Effigies" (onde pelos primeiros acordes já se percebe que estamos lidando com um bom trabalho, com riffs e solos bem diferenciados), a raivosa e agressiva "Self Destruction" (reparem bem na força dos vocais e suas boas variações), a empolgante "Common is Different than Normal" (novamente o trabalho de guitarras faz a diferença, com seus ótimos riffs cadenciados e solos melodiosos com boa técnica), a bruta e opressiva "Idiocracy", a refreada e bruta "WIthout Opinion" (baixo e bateria mostram bom nível técnico e a força de seu entrosamento), a bruta "Heretic Life", a cativante "Rubicon (Point of No Return)" (não se fale em solos aqui! Estão ótimos, e ponto final), e "Ode to the Renegade" (incrível uma faixa tão boa fechar o CD, mostrando alguns riffs mais melodiosos e com certo toque de modernismo metálico, e que duetos de solos).

Sim, estamos vendo surgir um ótimo nome no Metal nacional, e tenham certeza: sabendo evoluir, esses caras terão muito a nos dar em termos de música. Agora que já leu a resenha, que tal comprar o seu CD físico e espalhar a Pandemia? Só seu vizinho fã de pagode, axé, funk, forró e derivados é que não vai gostar...
By Marcio “Big Daddy” Garcia

Link: http://metalsamsara.blogspot.com/2014/03/pandemmy-reflections-rebellions-cd.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Player


MusicPlaylistView Profile
Create a playlist at MixPod.com